Buscar

A missão



Certa vez, tive o privilégio de assistir o filme A Missão, uma obra inglesa que é baseada em fatos. O filme foi escrito por Robert Bolt e dirigido por Rolland Joffé, sendo interpretado por Jeremy Irons, (irmão Gabriel) um padre jesuíta designado para a Missão de São Carlos, além de Robert de Niro (Rodrigo Mendonza), um ex-mercador de escravos. O filme pode ser analisado de várias perspectivas, mas também podemos ver que, no final, os nativos podiam ter três destinos: ou perder seus costumes e crenças para uma nova cultura, em nome de Deus; serem escravizados como animais selvagens ou serem dizimados pelos colonizadores. O enredo do filme mostra-nos, de forma clara, como política e religião caminham juntas e os resultados que daí advém. É fundamental perceber que o discípulo de Cristo tem uma missão, mas essa não se partidariza e muito menos se filia a governos, pois a missão ocorre, fundamentalmente, nas palavras do Senhor Jesus. O evangelho de Marcos deixa isso muito claro quando afirma que Jesus Cristo,


Por fim apareceu aos Onze, quando estavam sentados à mesa, e censurou-lhes a incredulidade e dureza de coração, por não acreditarem nos que o tinham visto ressuscitado. E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo, mas quem não crer será condenado. Estes milagres acompanharão os que crerem: expulsarão os demônios em meu nome, falarão novas línguas, manusearão serpentes e, se beberem algum veneno mortal, não lhes fará mal; imporão as mãos aos enfermos e eles ficarão curados. Depois que o Senhor Jesus lhes falou, foi levado ao céu e está sentado à direita de Deus. Os discípulos partiram e pregaram por toda parte. O Senhor cooperava com eles e confirmava a sua palavra com os milagres que a acompanhavam (Mc 16.14-20).

O texto deixa claro que a missão acontece sem interferência do Estado. Portanto, quais são as lições que este texto ensina para a igreja de Cristo?


A primeira lição que esse texto ensina é que a missão é fruto da obediência. Percebemos que o Senhor censurou a incredulidade e a dureza de coração dos seus discípulos por duvidarem que Ele houvesse ressuscitado, mas a seguir, deu-lhes uma ordem: “Ide por todo o mundo e pregai o Evangelho a toda criatura”. Portanto, uma ordem precisa ser obedecida e, sendo assim, precisamos afirmar que missão é fruto da obediência à ordem do Senhor Jesus.


A segunda lição que o texto ensina é que a missão exige desprendimento, pois os discípulos deveriam sair pregando por todo mundo. Sendo assim, deveriam se desprender do seu status quo, da sua cultura, até mesmo da sua própria família. Portanto, cumprir a missão exige desprendimento, faz com que a pessoa saia da sua zona de conforto e torne-se um peregrino.


Por último, o texto ensina que a missão faz com que a pessoa se relacione com todas as pessoas e, se assim é, devemos afirmar que o evangelho quebra todas as barreiras sociais, pois ele é livre de preconceitos e faz com que aquele que afirma que está em missão e obedecendo à ordem do Senhor, seja uma pessoa inclusivista, que não tem problema de se relacionar com quem quer que seja.


O Senhor Jesus deu uma missão para ser realizada por seus discípulos e esta é que eles devem sair anunciando o evangelho. A questão é: Tu és discípulo de Jesus, estás pregando o evangelho?

117 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Negue-se