Buscar

Arautos



Jesus foi alguém que sempre valorizou o seu próximo. Ele foi uma pessoa de contatos, mas tinha consciência de sua missão. O evangelho de Mateus diz: “E percorria Jesus todas as cidades e aldeias, ensinando nas sinagogas deles, e pregando o evangelho do Reino e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo” (Mt 9.35). A vida se realiza no caminho e é na peregrinação que se realiza a missão. O texto é claro e afirma que Jesus estava caminhando por todas as cidades e aldeias pregando o evangelho do reino. Portanto, os seus discípulos devem fazer o mesmo. Sendo assim, vejamos o que aprendemos com este texto.

A primeira coisa que o texto diz é que o caminhante é um arauto. Ele tem uma mensagem para proclamar. Quem caminha com Cristo é um professor-aprendiz e um proclamador. Significa que há uma missão para se realizar e ela se faz no caminho e, enquanto se caminha, proclama-se a mensagem que foi recebida do Mestre.

A segunda realidade é que o arauto é apenas uma voz e não salva ninguém. A missão do discípulo é seguir e proclamar a mensagem e perceber que a salvação é uma realidade que lhe ultrapassa. O discípulo não salva ninguém, quem salva é o Senhor Jesus. Contudo, o texto deixa muito claro que os discípulos do Senhor são seus arautos.

Uma outra lição que aprendo é que o arauto deve proclamar a boa nova. É uma mensagem de esperança. Ele não fala de si mesmo, mas da mensagem que ele recebeu e, que mensagem é esta? A resposta de forma sucinta e maravilhosa nos é fornecida pelo apóstolo João que diz: “E o verbo se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade, e vimos a sua glória, glória como do unigênito do Pai” (Jo 1.14). Portanto, a proclamação é sobre a pessoa de Jesus e nada além disso. Gosto do que afirmou George Augustin (2019, p.106-107): “O anúncio cristão é uma oferta universal de amor e promessa de salvação. Ele é um serviço escatológico provisório prestado a Jesus Cristo, o Ressuscitado, através do qual foi prometida a toda Humanidade a consumação de toda «plenitude fragmentária» de elementos da verdade, da salvação da vida. Nós anunciamos Jesus Cristo como sinal da salvação para todas as pessoas, como luz para revelação dos pagãos (Lc 2,32), como paz entre as pessoas de boa vontade (Lc 2,14)”. Essa deve ser a proclamação dos seguidores de Cristo.

Por último, aprendo que a mensagem fica e o mensageiro segue viagem. Aqui mostra-se a transitoriedade do arauto e permanência da mensagem. O importante e essencial é a mensagem e não o mensageiro. É preciso caminhar pela vida, encontrando as pessoas e proclamando a boa nova. É fundamental ser apenas e nada mais que um mensageiro, percebendo que o essencial e primordial é o que fica e o que fica é a Boa Nova do Reino.

É preciso caminhar tendo consciência de que há uma missão que deve ser realizada. Torna-se fundamental perceber que o discípulo cumpra o seu papel e sem medo, seja um arauto, mas um proclamador da Boa Nova.

#vida #boanova #Jesus

48 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo