Buscar

As estações da vida

Atualizado: 7 de jan. de 2020

A vida é uma jornada e é fundamental aliviar a bagagem. É preciso fazer as devidas mudanças nas estações certas.



Tenho o privilégio de ver o parque da cidade todos os dias. Vejo-o em todas as estações do ano. Contempo as suas transformações, suas cores e matizes, cada nuance nova que vai aparecendo, e; neste processo de contemplação percebi que para vivermos bem, precisamos agir como as estações do ano. É essencial não ser acumulador. É preciso aceitar as mudanças e no momento certo despegar-se, como as folhas que se soltam.


Na caminhada da vida, em nossa existência, precisamos aliviar a bagagem. Não podemos ficar acumulando e guardando as emoções e sentimentos. Devemos desfrutar de cada emoção e sentimento, mas é fundamental permitir que elas se renovem em nós. É significativo o que diz Ramiro Álvarez: “Todas as emoções que experimentamos, por serem humanas e nossas, são aceitáveis. Por isso, devemos habituar-nos a aceitar os nossos próprios sentimentos. Temos o direito de sentir medo, amor, vergonha, ódio. Tudo o que sentimos pertence-nos.” Contudo, não podemos ficar agarrados a eles, principalmente os negativos, pois podem nos consumir e fazer com que amarguemos na vida e tornemos a vida dos demais horrível.


É preciso soltar as folhas das emoções. É preciso que elas sejam maturadas, mas caiam no tempo certo. É fundamental renovar-se e florescer novamente. É essencial que haja sempre primavera na vida. Sim, pela vida passamos pelas estações e elas se manifestam em nossos relacionamentos, em nossos sentimentos e não podemos prendê-los é fundamental que eles façam seu ciclo e a renovação aconteça naturalmente.

É preciso viver cada sentimento e emoção. Contudo, sem se deixar escravizar por nenhum deles. Eles precisam seguir seu curso normal. É essencial despegar-se, para não se embrutecer, não se solidificar e assim, reconstruir-se, renovar-se e seguir com o processo da construção do ser e neste refazer, permitir que toda a beleza da vida se manifeste.

A vida é uma caminhada. Ela se realiza através das muitas experiências que vamos tendo. Tommy Hellsten diz: “A vida é um fenómeno muito maior do que a mente humana. O nosso intelecto é o nosso servo, não o nosso patrão; deve encontrar lugar no seio de um contexto muito maior.” Portanto, não se deixe aprisionar nos ciclos da sua existência.


A vida é uma jornada e é fundamental aliviar a bagagem. É preciso fazer as devidas mudanças nas estações certas. É preciso seguir adiante, esquecendo-se das coisas que ficam para trás. É também essencial reconhecer a própria fraqueza. Tommy Hellsten segue dizendo: “A fraqueza abre-nos ao amor, àquilo que mais necessitamos como seres humanos. E quando necessitamos de amor, necessitamos de Deus, que nos ama apesar da nossa fraqueza, mas também devido à nossa fraqueza. Deus é o amor que respeita sempre o nosso íntimo mais profundo. Deus é o amor que cria cada um de nós como um ser único.” Despegue-se em cada estação e em sua fragilidade, deixe-se ser apanhado pelo amor e ser invadido pelo Deus do amor.


Desfrute das estações da vida. Sinta tudo o que tem para sentir. Viva desassossegadamente e saiba que: “Apenas o coração que não deixou de se emocionar com o desassossego santo, pode, no final, descansar no par da paz divina.”

Autor: Pr. Marcos Amazonas


#vida

11 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Negue-se