Buscar

Confissão


Esta semana, ouvi estarrecido os áudios de um adolescente que confessou ter matado a sua mãe, o irmão e ter ferido gravemente o pai com um tiro de revólver. Ainda esta semana, ficamos sabendo que o ministro da educação favorecia a outros pastores na liberação de verbas públicas, e com o aval do presidente da República. Também leio a notícia de uma mulher que confessa ter praticado dois abortos ao afirmar que tais práticas “São coisas que não tem como voltar atrás, já pedi perdão a Deus e me arrependi”. A confissão dessa mulher, pode ou não trazer consequências para ela. No entanto, fico chocado e triste diante de tais fatos, mas deixo claro que não sou juiz e que tais assuntos são da esfera da justiça humana. Contudo, mediante a confissão dessa mulher, recordei o que escreveu o apóstolo João:


Mas, se confessamos nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar nossos pecados e nos purificar de toda injustiça (1 Jo 1.9). 

Quais são as lições que esse texto nos ensina?


A primeira lição que o texto ensina é que a confissão é fruto de uma análise interior. Portanto, o texto desafia-me a fazer uma viagem interior, sou obrigado a olhar para mim, ver-me como sou e encarar as minhas mazelas e perceber que sou pecador indigno e que, perante Deus estou completamente condenado. O texto diz que perante os homens eu até posso ser uma pessoa perfeita, mas quando estou perante o tribunal de Deus, não há nada em mim que possa inocentar-me e o que me resta é reconhecer que estou condenado. O apóstolo João, portanto, declara que devemos fazer uma viagem interior e assim, assumirmos as nossas mazelas confessando-as e clamando por misericórdia de Deus.


A segunda lição que o texto ensina é que aquele que faz uma confissão sincera e demonstra arrependimento e encontra em Deus perdão. Uma coisa é o crime cometido e a sua consequência, outra é a realidade perante de Deus. Alguém pode ser condenado pela justiça humana, mas pode viver livre e feliz com Deus, pois encontrou a sua graça e o seu perdão. Podemos ver isso claramente na vida de Charles Colson, homem que foi preso por causa do escândalo Watergate no governo Nixon e foi na prisão que encontrou a liberdade em Cristo e desenvolveu o ministério Prison Fellowship. Colson, foi perdoado por Deus, mas teve que assumir as consequências do que havia feito. Portanto, quem recebe o perdão de Deus não está livre das consequências dos seus atos perante a sociedade.


Por último, o perdão e a justificação acontecem por causa do que Cristo fez. Sendo assim, é preciso tirar as máscaras, deixar de lado as desculpas e apresentarmo-nos perante o Senhor assumindo toda a nossa culpa e clamando por misericórdia e, quando assumimos nossos erros e, arrependidos os confessarmos, Ele nos perdoa e nos purifica.


Ouvi a confissão de um adolescente, o áudio de um político, mas li a declaração de uma mulher que reconheceu seu erro, arrependeu-se e confessou o seu erro pedindo perdão a Deus e, fundamentado na Escritura, posso dizer que ela foi perdoada. E tu, já confessastes os teus pecados a Jesus?

90 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo