Buscar

Contemplação



A todos nós é nos dado o mesmo tempo todos os dias. Todos temos 24 horas por dia para viver. Alguns desejavam que o dia tivesse pelo menos 48 horas. Outros que o dia passasse mais devagar. O corre-corre do dia faz com que não desfrutemos do nosso tempo e não contemplemos a vida como ela deve ser contemplada.

Nos dias atuais tudo muda rapidamente. Nossos olhos mal têm tempo de ver realmente as coisas. Passamos sempre a correr pelos lugares. Nossa sala de estar tornou-se virtual e nos encontramos ou reencontramos com os amigos neste espaço. Devemos parar e perceber urgentemente que: “O que as pessoas mais necessitam de nós não é informação adicional, e sim palavras que alimentam a alma.” Sim, é preciso mostrar sensibilidade e falar ao ser. É fundamental falar e que nossas palavras sejam palavras de vida, mas para que isto aconteça é essencial ver o outro e percebê-lo.

Creio que nos tornaremos mais humanos quando aprendermos a ser contemplativos. Quando deixarmos a correria e simplesmente nos deliciarmos com a criação. Hoje vivemos numa floresta de concreto. Quando estive na minha querida Manaus, já não vi o verde que costumava ver. Agora só existem prédios. Contudo, precisamos parar e olhar para a natureza e deixarmo-nos encantar por ela. Quem se encanta com a natureza, irá se encantar com o seu semelhante.

Perdemos a capacidade contemplativa. Já não nos encantamos com um belo por do sol. Não paramos e nos deixamos embalar por uma noite enluarada. Vivemos estressados e extremamente preocupados com tudo e mais alguma coisa. Entretanto, Jesus nos manda olhar. Gosto como Tolentino expõe esta realidade. Ele diz: “«Olhai os pássaros… olhai os lírios.» Precisamos de amplitude, de campos vastos a perder de vista, de viagens mais profundas que as da rotina. Precisamos avizinharmo-nos do silêncio das coisas, cúmplice do silêncio da nossa alma. Precisamos da liberdade leve das horas inapreensíveis que a ronda da criação serenamente nos testemunha. Andamos insatisfeitos, tristes, esgotados porque uma vida confinada na largueza, é uma vida diminuída. Precisamos ser curados pela amizade das criaturas. «Olhai os pássaros… olhai os lírios.»

No tempo que é hoje, precisamos parar e assim ter tempo para poder contemplar. Devemos permitir que a beleza da criação fale e cale em nossos corações. Precisamos dedicar tempo para que possamos ver o cuidado de Deus para conosco e, dedicarmos tempo a nós e ao nosso próximo. Não podemos dizer a nós mesmos: “Um dia, reflito, quando minha vida não estiver tão ocupada.” É preciso parar agora. É preciso refletir e contemplar e se deixar contemplar.

As relações hoje são fugazes. Muitas sem sentido. Troca-se de relação como quem troca de roupa. “Pessoas exigem tempo. Relacionamentos não podem ser preparados no micro-ondas. A intimidade nunca é algo simples.” Intimidade começa com a contemplação, com o perceber o outro e vê-lo como é.

A correria do dia-a-dia nos sufoca. O nosso desejo de ter tudo e mais alguma coisa engana-nos e faz com que pensemos que não temos tempo. Contudo, é preciso parar e descansar. É preciso relaxar. É preciso se deixar encantar com a beleza da natureza e quem sabe talvez cantar com Vinícius e Toquinho: “É bom passar uma tarde em Itapuã, ao sol que arde em Itapuã”. Se não for lá, que seja em outro lugar.

Pare. Relaxe e olhe a sua volta. «Olhai os pássaros… olhai os lírios.» Contudo, neste processo de contemplação eu ouso acrescentar: «Olhai para o próximo». Veja a beleza da vida na natureza e naqueles que o cercam e quem sabe digas o mesmo que Jacó disse ao seu irmão: “vi o teu rosto como se tivesse contemplado o semblante de Deus; e te agradaste de mim.” (Gn 33.10).


Que a vida se refaça e se faça através de uma atitude contemplativa.


#vida #conselhos #contemplar

58 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo