Buscar

Ele entende



Davi, pastor, poeta e rei foi um homem cheio de virtudes, mas também, como todo ser humano, cheio de defeitos. Ele foi tão humano, tanto quanto, você e eu e não um super humano. Ele passou por altos e baixos, teve seus momentos de euforia e outros tantos de profunda tristeza, mas é notável ver que as suas experiências terminavam em canções.

Houve um momento na vida de Davi, em que teve que enfrentar o ódio do sogro e por isso, tornou-se um fugitivo. Entretanto, como resultado deste momento, surgiu um salmo maravilhoso. Na verdade, foi um grito de clamor a Deus. Ele apresentou a sua queixa perante o ETERNO.

Saul, seu sogro queria matá-lo. Por isso, ele fugiu e foi se esconder e refugiar na caverna de Adulão. Quando os seus familiares souberam, foram juntar-se a ele e também, todos aqueles que estavam em desespero e os amargurados de espírito.

Foi neste contexto de fuga, em exílio que Davi ergueu sua voz em oração, queixando-se a Deus, pois sentindo-se abandonado por todos.

Eis o salmo que ele escreveu:


"Com a minha voz clamei ao SENHOR; com a minha voz supliquei ao SENHOR.
Derramei a minha queixa perante a sua face; expus-lhe a minha angústia.
Quando o meu espírito estava angustiado em mim, então conheceste a minha vereda. No caminho em que eu andava, esconderam-me um laço.
Olhei para a minha direita, e vi; mas não havia quem me conhecesse. Refúgio me faltou; ninguém cuidou da minha alma.
A ti, ó Senhor, clamei; eu disse: Tu és o meu refúgio, e a minha porção na terra dos viventes.
Atende ao meu clamor; porque estou muito abatido. Livra-me dos meus perseguidores; porque são mais fortes do que eu.
Tira a minha alma da prisão, para que louve o teu nome; os justos me rodearão, pois me fizeste bem" (Sl 142.1-7).

Uma leitura minuciosa deste salmo nos fará perceber que, fisicamente Davi se sentia fraco, perseguido e por isso, não confiava em ninguém. Além do mais, podemos ver que psicologicamente ele sentia-se angustiado, abandonado, desprezado e preso. Entretanto, espiritualmente ele é livre e por sê-lo, ergueu sua voz a Deus, reconhecendo que o Senhor conhecia o seu caminho e que era o seu refúgio e o seu Libertador.

Davi clamou para que o Senhor o libertasse para que ele pudesse louvá-lo e em consequência disso, os justos se chegariam a ele reconhecendo que o Senhor lhe fez bem.

Há momentos em que nos encontramos tal e qual como Davi. Há momentos que nos refugiamos e enfrentamos o desprezo e a angústia. Nestes momentos, nos sentimos abandonados e fracos, mas são estes momentos que nos levam a clamar e a queixarmo-nos com mais ardor perante o Senhor.

Refletindo neste salmo e em todo o contexto que o fez surgir, aprendo que diante das perseguições, das dores e lutas que enfrento, preciso me recolher e ficar a sós com Deus e expor-lhe toda a minha condição, apresentar-lhe a minha queixa.

A segunda lição, que tomo para a minha vida, diz que em meus momentos de crise e angústia, quando tudo parece perdido, mesmo que todos me tenham abandonado, o Senhor não me abandona e preciso confiar no seu agir, pois Ele é o meu Libertador.

Por último, o texto diz que devo louvar a Deus pelo bem que Ele me fez. Entretanto, aqui chamo atenção para fato de poder voltar ao convívio das pessoas. O Senhor é quem vai tirar o meu confinamento e é Ele quem me guará para a celebração da vida.

#vida #Deus #fé #dificuldades #libertador

74 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Negue-se