Buscar

Filhos de Deus



O cristão se declara como filho de Deus, mas não basta declarar-se como tal, ele deve em suas atitudes e conduta demonstrar que é realmente filho de Deus. Portanto, as atitudes daquele que afirma ser filho de Deus devem ser diferenciadas, pois aquele que é verdadeiramente cristão vive em santidade, e esta é prática e nunca teórica. Dessa forma, as atitudes de quem se afirma cristão, filho de Deus, devem ser qualidades iguais às d’Ele. O apóstolo João esclarece como podemos testemunhar que somos filhos de Deus. Em sua epístola ele declara:


Agora, filhinhos, permaneçam nele para que, quando ele voltar, estejamos confiantes e não nos afastemos dele, envergonhados. Porque sabemos que ele é justo, também sabemos que todo o que pratica a justiça é nascido de Deus. Vejam como é grande o amor do Pai por nós, pois ele nos chama de filhos, o que de fato somos! Mas quem pertence a este mundo não reconhece que somos filhos de Deus, porque não o conhece. Amados, já somos filhos de Deus, mas ele ainda não nos mostrou o que seremos quando Cristo vier. Sabemos, porém, que seremos semelhantes a ele, pois o veremos como ele realmente é. E todos que têm essa esperança se manterão puros, como ele é puro. Quem vive no pecado transgride a lei, pois todo pecado é contrário à lei. E vocês sabem que ele veio para tirar nossos pecados, e nele não há pecado. Quem permanece nele não continua a pecar. Mas quem continua a pecar não o conhece e não entende quem ele é. Filhinhos, não deixem que ninguém os engane a este respeito: quando uma pessoa faz o que é justo, mostra que é justa, como ele é justo. Mas, quando continua a pecar, mostra que pertence ao diabo, pois o diabo peca desde o início. Por isso o Filho de Deus veio, para destruir as obras do diabo. Aquele que é nascido de Deus não vive no pecado, pois a vida de Deus está nele. Logo, não pode continuar a pecar, pois é nascido de Deus. Assim, podemos identificar quem é filho de Deus e quem é filho do diabo. Quem não pratica a justiça e não ama seus irmãos não pertence a Deus (1 João 2.28-3.10). 

Diante deste texto, quais são as lições que aprendemos para aplicar na nossa vida diária, afim de testemunharmos que somos filhos de Deus?


A primeira lição é que os filhos de Deus confiam que estarão desfrutando da companhia do Senhor para todo sempre. Sendo assim, os filhos de Deus se alimentam da esperança, não esperança de espera, mas do esperançar que é confiança. Essa nos assevera sermos filhos de Deus e que Ele jamais nos abandonará.


A segunda lição é que os filhos de Deus se mantêm puros. A consciência de ser filho de Deus, faz com que o nosso viver seja uma caminhada e busca para ser semelhante a Jesus Cristo. Portanto, como afirma George Augistin: “A vocação do cristão é partir novamente, a cada dia que passa, estar sempre a caminho, esforçar-se sempre por se tornar semelhante a Cristo”. Esta é a caminhada da santificação.


Por último, os filhos de Deus não vivem na prática do pecado. Ou seja, o filho de Deus não vive numa prática habitual do pecado, mas também, ele tem consciência de que é uma pessoa falha e quando erra, confessa o seu pecado a Jesus Cristo. Sendo assim, o filho de Deus vive essa tensão, mas procura no seu viver obedecer à Palavra do Senhor.


Ser filho de Deus é muito mais que fazer parte de um determinado grupo ou religião. O filho de Deus é aquele que vive em santidade e pureza de vida, confiando no regresso do Senhor. Portanto, o filho de Deus é uma pessoa que pratica a justiça que é revelada nas Escrituras e vive em comunhão com Deus e com o próximo. Tu és filho de Deus?

69 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo