top of page
Buscar

Lembrai-vos


Diferentemente dos demais seres vivos, o ser humano vive de recordações. Ele é um ser de memória, que alimenta-se do passado, vivendo o hoje, sonhando com o futuro. As pessoas buscam fundamentar-se também em suas lembranças e, como diz a canção, “recordar é viver”. A Bíblia sagrada é marcada pela recordação e nela encontramos um chamado ao povo de Israel para recordar os feitos de Deus na história e não apenas isso, percebemos nas imagens e ritos que são um chamado à lembrança e em várias passagens, vemos Deus conclamando o povo para uma viagem à memória. Nesse sentido, o profeta Malaquias declara:


“Lembrai-vos da Lei de Moisés, meu servo, a qual lhe prescrevi em Horebe para todo o Israel, a saber, estatutos e juízos. Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível Dia do Senhor; ele converterá o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos a seus pais, para que eu não venha e fira a terra com maldição” (Ml 4.4-6). 

O que aprendemos com esse texto?


A primeira lição que o texto ensina é que precisamos nos recordar da Palavra de Deus. Portanto, o texto mostra que o povo deve considerar os estatutos do Senhor e os seus juízos. O profeta disse que o povo deveria olhar para o passado e ver o que o Senhor tinha feito e, ao ver tudo o que Deus fez, deveria assumir um compromisso autêntico com Ele. Portanto, lembre-se do que Deus fez e em reconhecimento do que Ele fez, submeta-se a Ele e sirva-o de todo o coração. Ou seja, quando o profeta diz que devemos lembrar da lei de Moisés, ele está afirmando que só poderemos conhecer a verdade examinando a Palavra. Portanto, é preciso examinar e para Palavra e aprender sobre a história do povo de Deus, afim de podermos oferecer um culto sincero e uma adoração autêntica ao Senhor.

A segunda lição que o texto nos ensina é que Deus intervém na história a nosso favor. O texto nos apresenta Moisés e Elias num encontro entre o passado e o futuro. Ou seja, o texto aponta para uma intervenção futura de Deus, nesse caso, uma visão escatológica. Devemos compreender que o Antigo Testamento vai definindo a vinda súbita do Senhor e o Novo vai utilizar seus elementos para mostrar que Deus interveio na história na pessoa de Jesus de Nazaré. Portanto, o nosso objetivo quando abrimos as Escrituras é buscar encontrar Jesus.


Por último, o texto ensina que a Escritura é fator unificador da família. O texto anuncia que Elias viria com uma missão específica. Elias aqui é a pessoa de João Batista e o grande e terrível dia do Senhor se deu em Jesus Cristo, pois a era messiânica iniciou-se com o nascimento de Jesus. A ideia aqui é que os laços familiares continuam sendo sagrados na nova revelação. Portanto, o projeto de Deus é a restauração de toda a família. Ou seja, a salvação é para ser vivida por toda família.


O profeta diz que é preciso lembrar da Palavra do Senhor e que nossos lares devem ser centros de adoração com nossas famílias vivendo em harmonia e em comunhão, demonstrando o amor de Deus. É assim que temos vivido?

71 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page