Buscar

O valor do companheirismo


O cantor e compositor Milton Nascimento, em sua Canção da América, declara que: “Amigo é coisa pra se guardar / Debaixo de sete chaves / Dentro do coração”. O amigo é um companheiro de jornada, alguém que faz com que a nossa vida tenha mais cor. O autor de Eclesiastes tratou sobre o companheirismo e utilizou-se de metáfora para tratar dessa temática ao escrever:


É melhor serem dois que um, pois um ajuda o outro a alcançar o sucesso. Se um cair, o outro o ajuda a levantar-se. Mas quem cai sem ter quem o ajude está em sérios apuros. Da mesma forma, duas pessoas que se deitam juntas aquecem uma à outra. Mas como fazer para se aquecer sozinho? Sozinha, a pessoa corre o risco de ser atacada e vencida, mas duas pessoas juntas podem se defender melhor. Se houver três, melhor ainda, pois uma corda trançada com três fios não arrebenta facilmente (Ec. 4.9-12). 
Quais são as lições desse texto para as nossas vidas? 


A primeira lição que o texto ensina é que o companheirismo garante o sucesso de um projeto. O autor afirma que é melhor serem dois e o motivo é que há uma melhor paga, ou seja, a ideia é de que há sucesso mediante à cooperação. Portanto, o que está sendo dito é que na caminhada da vida necessitamos partilhar nossos sonhos, ter projetos comuns e caminhar lado a lado, pois ninguém triunfa sozinho e conseguirá vencer e ser sem os outros.


A segunda lição que o texto ensina é que o companheirismo gera cuidado e vence as adversidades. O texto fala de uma viagem e o autor afirma que, no percurso, existem buracos e valetas. Sendo assim, ele admite a hipótese da queda e devemos recordar que naqueles dias as viagens eram feitas à noite e cair num buraco sozinho seria algo terrível. Portanto, o autor mostra-nos que na vida necessitamos sempre de uma mão amiga. Portanto, aprendemos que o companheirismo gera cuidado e este é fruto do amor. O texto afirma que o companheirismo vence a adversidade da queda com cuidado. Mas ele utiliza ainda outra ilustração e diz que o companheirismo vence as intempéries da vida com companheirismo, ou seja, quem tem amigos, quem partilha sua vida, tem um fardo mais leve.


Por último, o texto ensina que o companheirismo gera segurança. Aqui o autor ilustra seu argumento com a figura do ladrão, o bandido que chega de surpresa e quem está sozinho está inseguro, pois não tem proteção. Portanto, ele afirma que a segurança é fruto do cuidado e o autor utiliza a ideia da corda de três fios, um conceito vigente daqueles dias, como uma maneira de explicar que o companheirismo pode ir muito mais além que o par. Portanto, há maior segurança quando cresce o número e da interdependência que se gera.


O autor de Eclesiastes mostra que o companheirismo destrói a solidão e afirma que o companheirismo é o ideal de Deus para nós e é por isso que o companheirismo nos faz com que tenhamos sucesso em nossos projetos, nos ajuda a vencer as adversidades da vida e garante segurança. Portanto, que possamos na vida desfrutar de companheirismo. Que possamos dedicar-nos uns aos outros.

112 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo