top of page
Buscar

Os pontos nos is



O evangelho de João é magnífico e apresenta-nos vários encontros de Jesus. Vamos caminhar por este evangelho, refletindo no significado desses encontros. O primeiro deles é com Nicodemos, um doutor da Lei, mas vamos ler o texto antes de qualquer coisa:


Havia um fariseu chamado Nicodemos, líder religioso entre os judeus. Certa noite, veio falar com Jesus e disse: “Rabi, todos nós sabemos que Deus enviou o senhor para nos ensinar. Seus sinais são prova de que Deus está com o senhor”. Jesus respondeu: “Eu lhe digo a verdade: quem não nascer de novo, não verá o reino de Deus”. “Como pode um homem velho nascer de novo?, perguntou Nicodemos. “Acaso ele pode voltar ao ventre da mãe e nascer uma segunda vez?” Jesus respondeu: “Eu lhe digo a verdade: ninguém pode entrar no reino de Deus sem nascer da água e do Espírito. Os seres humanos podem gerar apenas vida humana, mas o Espírito dá à luz vida espiritual. Portanto, não se surpreenda quando eu digo: ‘É necessário nascer de novo’. O vento sopra onde quer. Assim como você ouve o vento, mas não é capaz de dizer de onde ele vem nem para onde vai, também é incapaz de explicar como as pessoas nascem do Espírito”. “Como pode ser isso?, perguntou Nicodemos. Jesus respondeu: “Você é um mestre respeitado em Israel e não entende essas coisas? Eu lhe digo a verdade: falamos daquilo que sabemos e vimos e, no entanto, vocês não creem em nosso testemunho. Se vocês não creem em mim quando falo de coisas terrenas, como crerão se eu falar de coisas celestiais? Ninguém jamais subiu ao céu, exceto aquele que de lá desceu, o Filho do Homem. E, como Moisés, no deserto, levantou a serpente de bronze numa estaca, também é necessário que o Filho do Homem seja levantado, para que todo o que nele crer tenha a vida eterna. “Porque Deus amou tanto o mundo que deu seu Filho único, para que todo o que nele crer não pereça, mas tenha a vida eterna. Deus enviou seu Filho ao mundo não para condenar o mundo, mas para salvá-lo por meio dele.Não há condenação alguma para quem crê nele. Mas quem não crê nele já está condenado por não crer no Filho único de Deus. E a condenação se baseia nisto: a luz de Deus veio ao mundo, mas as pessoas amaram mais a escuridão que a luz, porque seus atos eram maus. Quem pratica o mal odeia a luz e não se aproxima dela, pois teme que seus pecados sejam expostos. Mas quem pratica a verdade se aproxima da luz, para que outros vejam que ele faz a vontade de Deus. (Jo 3.1-21). 

Esse diálogo é maravilhoso e ao revê-lo vejo algumas coisas que são tão óbvias que passam de lado, mas vejamos o que o texto nos ensina:

A primeira realidade que Jesus diz a Nicodemos é que é impossível para o homem salvar a si mesmo. Nicodemos reconhece que Jesus vem da parte de Deus, mas o Senhor diz-lhe diretamente que é preciso nascer de novo e depois fala que humanamente isso é impossível. A salvação é um projeto divino e o Senhor vem para executá-la.

A segunda realidade que o texto nos apresenta é que o universo está perdido. Não é apenas o ser humano. O cosmos está um caos e por isso, Jesus encarnou, pois Ele ama sua criação e veio restaurá-la.


O texto é claro ao dizer que a criação estava condenada e que Ele não veio para julgar ou condenar, mas para resgatá-la e salvá-la.


A terceira realidade que o texto mostra é a consciência da paixão de Jesus. Jesus diz que como a serpente havia sido levantada numa estaca no deserto o Filho do Homem deveria ser levantado para que todo o que nele cresse tivesse o direito à vida eterna. Portanto, a salvação é fruto do amor e da entrega de Deus.


Jesus mostra que sua paixão não é surpresa, mas deixa claro que ela é o meio pelo qual o amor e a redenção de Deus chegam ao ser humano.


Nicodemos foi até Jesus e o Mestre esclareceu-lhe todas as coisas e deixou claro que a salvação e a regeneração são frutos do amor de Deus.


#Jesus #mensagem #Deus

62 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page