top of page
Buscar

Planejamento e estratégia



Neemias foi um homem extraordinário. Foi alguém que viveu sua espiritualidade de maneira correta e que jamais se deixou corromper. Também não se deixou iludir pela sedução do poder e jamais perdeu a sua sensibilidade.

O capítulo 1 do livro de Neemias nos mostra uma pessoa que busca informação e que acima de tudo manifesta preocupação autêntica pelo seu povo. Ele era uma pessoa temente a Deus e que reconheceu que a solução para os dilemas da vida se encontravam em Deus, pois vemos que Neemias investia um tempo em oração, pedindo orientação de Deus para saber o que fazer. Neemias nos ensina que tudo se inicia com oração, mas também mostra-nos que é preciso criar um plano de ação e uma estratégia para poder levar uma obra a bom termo. Ele nos mostra que planejamento e estratégia são essenciais.

O capítulo 2 nos mostra que passaram-se quatro meses desde o momento que Neemias recebeu a notícia sobre como se encontrava sua cidade. Então, ele se apresentou perante o rei e seu semblante deixa transparecer a sua tristeza, a tal ponto que o rei lhe disse: “Porque está triste o teu rosto, visto que não estás doente? Não é isto senão tristeza de coração” (2.2). Neemias reconhece que temeu, mas nos ensina que na vida precisamos agir com prudência. Neemias temeu, mas foi sincero em sua resposta, aproveitou o momento e com prudência disse ao rei: “Que o rei viva para sempre! Como meu rosto não pareceria triste? A cidade onde estão sepultados meus antepassados está em ruínas, e suas portas foram destruídas pelo fogo”(Ne 2.3). E dessa resposta surgiu o seguinte diálogo: “O que você deseja que eu faça?”, perguntou o rei. Depois de orar ao Deus dos céus, respondi: “Se lhe parecer bem, e se o rei for favorável a mim, seu servo, peço que me envie a Judá para reconstruir a cidade onde meus antepassados estão sepultados”. O rei, com a rainha sentada ao seu lado, perguntou: “Quanto tempo você ficará ausente? Quando voltará?”. Respondi ao rei quanto tempo ficaria ausente, e ele atendeu a meu pedido. Disse também: “Se lhe parecer bem, gostaria que o rei me desse cartas para levar aos governadores da província a oeste do rio Eufrates, com instruções para que eles permitam que eu viaje em segurança por seus territórios até chegar a Judá. Peço ainda que o rei me dê uma carta para levar a Asafe, administrador da floresta real, com instruções para que me forneça madeira. Precisarei desse material para as vigas das portas da fortaleza junto ao templo, para o muro da cidade e para minha própria casa”. O rei atendeu a esses pedidos, pois a bondosa mão de Deus estava sobre mim” (Ne 2.4-8). Neemias já tinha um plano elaborado e uma estratégia e isto fica bem claro em suu diálogo com o rei. Quando olhamos para este diálogo, encontramos alguém que sabia o que falar ao rei e expôs tudo com detalhes, até o tempo que iria ficar fora. Neemias era uma pessoa que tinha elaborado uma estratégia e tinha tudo planejado.

É fundamental ter um plano de ação, ter uma estratégia, mas é preciso prudência e cuidado. Neemias foi prudente na forma como falou com o rei, mas também prudente e cuidadoso quando chegou a Judá. Leiamos o que ele mesmo diz: “Assim, cheguei a Jerusalém. Três dias depois, saí discretamente durante a noite, levando comigo uns poucos homens. Não havia contado a ninguém os planos para Jerusalém que Deus tinha colocado em meu coração. Não levamos nenhum animal de carga além daquele que eu montava. Depois que escureceu, saí pela porta do Vale, passei pelo poço do Chacal e fui até a porta do Esterco para inspecionar o muro de Jerusalém, que tinha sido derrubado, e as portas, que haviam sido destruídas pelo fogo. Em seguida, fui à porta da Fonte e ao tanque do Rei, mas, por causa do entulho, não havia espaço para meu animal passar. Por isso, embora ainda estivesse escuro, subi pelo vale de Cedrom e inspecionei os muros ali, antes de voltar e entrar de novo pela porta do Vale. Os oficiais da cidade não sabiam aonde eu tinha ido nem o que estava fazendo, pois não havia contado meus planos a ninguém. Ainda não tinha falado com os líderes judeus: os sacerdotes, os nobres, os oficiais e outros que realizariam o trabalho”. (Ne 2:11-16). Ele foi uma pessoa que agiu com cautela, procurando descobrir tudo o que estava acontecendo à sua volta e acima de tudo, buscou conhecer as necessidades do seu povo e o que teria pela frente.

Olhamos para Neemias e vemos que ele tinha tudo planejado, tinha uma estratégia e sabia o quê e como fazer. Além do mais, tinha consciência que necessitava da ajuda dos seus irmãos e que sem ela, seria impossível realizar a obra que estava projetada.

Necessitamos de homens e mulheres que saibam o que fazer e como fazer, pessoas que reconheçam os que trabalham juntamente com elas. É preciso ter consciência de que não conseguimos realizar a obra sozinhos.

Neemias montou seu plano de ação e sua estratégia. Avaliou tudo e depois chamou o povo e “Então lhes contei como a mão de Deus tinha estado sobre mim e lhes relatei minha conversa com o rei. Eles responderam: “Sim, vamos reconstruir o muro!”, e ficaram animados para realizar essa boa obra” (Ne 2:18). Ele foi um motivador e mostrou ao povo o agir de Deus em todo o processo.

Aprendemos que a chave do sucesso é oração, planejamento e uma estratégia bem elaborada. Permitamos que Deus nos oriente e sigamos os seus ensinamentos.


#vidaespitirual #oração #planejar #orientação #Deus

107 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page