top of page
Buscar

Respeite a minha dor


Aquele não era um dia como outro qualquer e muito menos a situação em que nos encontrávamos, pois estávamos em uma cerimônia fúnebre, quando os familiares do falecido choravam. Entretanto, percebi que algumas pessoas riam, outras contavam anedotas como se nada fosse, sem se importar com a dor dos enlutados. Ali, recordei as palavras de Jesus: “E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará” (Mt 24.12), Logo, nota-se que estamos perdendo a capacidade de sentir empatia, de amar o nosso semelhante como a nós próprios. Dessa forma, troçamos da dor dos outros, não nos importamos com o que os enlutados estejam a sentir e pude perceber isso ao ler sobre a morte de Popó Vaz, policial civil e transexual em São Paulo, que morreu aos 36 anos e percebi nas redes sociais o descaso, o desprezo e falta de respeito em relação a dor dos seus pais e familiares. Podemos discordar com as opções que uma pessoa faz, mas devemos amá-la e respeitá-la e, acima de tudo, respeitar a dor dos que perderam o seu ente querido.

Nesse tempo em que a maldade prolifera, a iniquidade é reinante e o amor esfriou e petrificou-se, o que me fez recordar as palavras do apóstolo Paulo em sua carta a igreja de Roma, onde ele diz:


Alegrai-vos com os que se alegram; e chorai com os que choram (Rm 12.15). 

Quais são as lições que esse texto nos ensina?


A primeira lição que o texto ensina é que devemos aprender a partilhar os sentimentos e emoções dos outros. Paulo declara que devemos ser solidários e que devemos partilhar dos momentos dos outros como se esses fossem os nossos momentos. Portanto, quem partilha das emoções e sentimentos dos outros, não demonstra inveja e muito menos se torna alguém indiferente.

A segunda lição que o texto ensina é que devemos ter tempo para o nosso semelhante. Esse pequeno versículo nos faz sair de nós próprios e leva-nos ao encontro do outro, percebendo-o em todas as suas dimensões e unindo-nos a ele em comunhão e partilha de vida. Portanto, esse versículo ensina que precisamos caminhar com as pessoas, partilhando dos seus momentos como se fossem os nossos próprios.


Por último, o texto ensina que é essencial respeitar o momento do outro. O apóstolo Paulo utilizou dois imperativos no versículo acima e, dessa maneira, o que nos é dito é que devemos ter uma atitude proativa em relação ao outro e respeitar o sentimento e a emoção do outro. Portanto, o ensino é para que não sejamos indiferentes e nem pensemos que somos o centro do universo, pois o apóstolo diz que devemos olhar à nossa volta para que tenhamos uma atitude de respeito e consideração em relação ao outro.


Quando estava em uma cerimônia fúnebre vi pessoas rindo e contando anedotas sem se importarem com a dor dos enlutados. Li nas redes sociais piadas e frases de mau gosto e percebi toda a insensibilidade que há à nossa volta. Comentários jocosos que não tiveram em conta os familiares do policial. Entretanto, e se acontecesse comigo, se fosse o meu familiar que tivesse morrido? Nesse momento é fundamental silenciar e a única coisa que eu diria seria: Respeite a minha dor!

101 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo
bottom of page