Buscar

Um novo dia



Portugal irá passar por eleições presidenciais e tenho acompanhado alguns debates acirradíssimos e que não passam de troca de galhardetes. Os USA estão em processo de sucessão e o presidente cessante se recusa aceitar a derrota e conclama o povo para uma rebelião desenfreada. No Brasil, observamos, vive-se o caos.

Vivemos um momento de polarização e por isso, vemos pessoas alimentando o ódio aos que são diferentes. Entretanto, nossa atitude para com as autoridades impostas é sempre ambígua, há momentos que elogiamos, quando nos favorecem, mas em outros reclamamos por achar que estão sendo completamente injustos, mas até onde e quando, como cidadãos, devemos nos sujeitar às autoridades e aos governantes?

A Escritura nos dá orientações específicas sobre essa realidade. O apóstolo Paulo diz claramente que as autoridades existentes são permitidas pela vontade de Deus (Rm 13.1-7) e que elas devem ser respeitadas, mas devemos sempre respeitá-las?

No século XVII, Samuel Rutherford (1600-1661), trouxe-nos a resposta para este questionamento. “Rutherford expôs que Romanos 13 indica ser todo poder proveniente de Deus e que o governo é instituído por Deus. O Estado, porém, deve ser administrado conforme princípios da Lei de Deus. Atos do Estado que contrariem esta Lei são ilegítimos e são atos de tirania. A tirania foi definida como governar sem a sanção de Deus”. Portanto, não é porque o governo diz que é de Deus que o seja, e devemos olhar para a Escritura para saber se realmente ele se enquadra dentro dos princípios de Deus, pois se não estiver, temos o dever e a obrigação de nos opor ao mesmo. Aqui cabe bem as palavras de Schaeffer, “os cidadãos têm a obrigação moral de resistir ao governo injusto e tirano. Embora sempre devamos estar sujeitos ao ofício do magistrado, não temos que estar sujeitos ao homem naquele ofício se ele ordena que é contrário à Bíblia”. Se tal ordem acontecer, temos o dever da insurreição, da desobediência civil como fizeram Pedro e João perante o sinédrio quando afirmaram: “Mais importa obedecer a Deus do que aos homens” (At 5.29).

Precisamos interceder pelos governantes, devemos nos submeter a eles, entendo que, como canta Chico:


"Hoje você é quem manda, falou, tá falado
Não tem discussão, não
A minha gente hoje anda
Falando de lado e olhando pro chão, viu?
Você que inventou esse estado
Que inventou de inventar toda a escuridão
Você que inventou o pecado
Esqueceu-se de inventar o perdão
Apesar de você amanhã há de ser outro dia
Eu pergunto a você
Onde vai se esconder da enorme euforia?
Como vai proibir
Quando o galo insistir em cantar?
Água nova brotando
E a gente se amando sem parar
Quando chegar o momento, esse meu sofrimento
Vou cobrar com juros, juro
Todo esse amor reprimido, esse grito contido
Este samba no escuro
Você que inventou a tristeza
Ora, tenha a fineza de desinventar
Você vai pagar e é dobrado
Cada lágrima rolada nesse meu penar
Apesar de você amanhã há de ser outro dia
Inda pago pra ver o jardim florescer
Qual você não queria
Você vai se amargar
Vendo o dia raiar sem lhe pedir licença
E eu vou morrer de rir
Que esse dia há de vir antes do que você pensa
Apesar de você
Apesar de você amanhã há de ser outro dia
Você vai ter que ver a manhã renascer
E esbanjar poesia
Como vai se explicar vendo o céu clarear
De repente, impunemente?
Como vai abafar
Nosso coro a cantar na sua frente?
Apesar de você
Apesar de você amanhã há de ser outro dia
Você vai se dar mal, etcetera e tal
Laraiá laraiá lá"

Amanhã há de ser novo dia e não importa quem estará no poder, pois todo e qualquer governo humano é passageiro, é transitório, o nosso desafio é ficar firmes e não desanimar, pois o Senhor está no controle da situação e o mote que foi criado para esse momento em Portugal e era o jargão de alguém que amo, diz que vai ficar tudo bem, até porque, amanhã há de ser um novo dia e que seja um dia de plena alegria, n’Aquele que toma conta das nossas vidas.


#vida #umnovodia #amanhecer #fé #Deus

84 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Vote